Mostrar mensagens com a etiqueta acessibilidades. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta acessibilidades. Mostrar todas as mensagens

domingo, 6 de janeiro de 2013

DSpeech, leitor de textos e gravador audio-books


Text-to-Speech Tutorial

Este tutorial cobre uma base muito texto-para-fala exemplo (TTS). O aplicativo de console é uma das mais simples manifestações de discurso. É o "Olá Mundo" equivalente para TTS. Uma amostra equivalente para uma aplicação Windows usando uma interface gráfica (e bomba de evento) está disponível em Usando eventos com TTS .
A amostra se acumula desde os mais simples (embora não funcionais) COM quadro de falar uma frase. Etapas são fornecidas para cada nova função. A amostra ainda vai um passo além de demonstrar as marcas de uso de XML para modificar discurso. A aplicação de amostra completa fica na parte inferior da página.
Passo 1: Configurando o projeto 
Passo 2: Inicializar COM 
Passo 3: Configurando Vozes 
Passo 4: Fale! 
Passo 5: Modificando Speech

Passo 1: Configurando o projeto

Embora seja possível escrever um aplicativo a partir do zero, é mais fácil partir de um projeto existente. Neste caso, utilize o assistente do Visual Studio aplicativo para criar um aplicativo de console do Win32. Escolha "Olá mundo", como a amostra quando perguntado durante o assistente de configuração. Depois de gerar isso, abra o arquivo StdAfx.h e cole o seguinte código depois de "# include", mas antes do "# endif" declaração. Isso configura o adicional dependências SAPI requer.

# Define _ATL_APARTMENT_THREADED

# Include <atlbase.h>
/ / Você pode derivar uma classe de CComModule e usá-lo se você quiser substituir alguma coisa,
/ / Mas não mudam o nome do _Module
_Module CComModule externo;
# Include <atlcom.h>
Listagem de código 1
Em seguida adicione os caminhos para arquivos SAPI.h e SAPI.lib. Os caminhos são indicados para um padrão SAPI SDK instalação. Se o compilador não consegue localizar qualquer arquivo, ou se a instalação foi realizada fora do padrão, use o novo caminho para os arquivos. Alterar as configurações do projeto para refletir os caminhos. Usando as configurações do projeto>. item de menu, defina o caminho SAPI.h. Clique na C / C + + guia e selecione Preprocessor da Categoria lista drop-down. Digite o seguinte no "adicionais incluem diretórios": C: \ Program Files \ Microsoft Speech SDK 5,3 \ Include.
Para definir o caminho SAPI.lib:
  1. Selecione a guia ligação da mesma caixa de diálogo Configurações.
  2. Escolha a categoria de entrada da lista drop-down.
  3. Adicione o seguinte caminho para o "caminho da biblioteca adicional":
    C: \ Program Files \ Microsoft Speech SDK 5,3 \ Lib \ i386.
  4. Também adicionar "sapi.lib" para o "Objeto / biblioteca módulos" linha. Certifique-se de que o nome é separado por um espaço.

Passo 2: Inicializar COM

SAPI é uma aplicação baseada em COM e COM deve ser inicializado tanto antes de usar e durante o tempo SAPI está ativo. Na maioria dos casos, isso é para a vida do aplicativo host. O código a seguir (da Lista 2) inicializa COM. Claro, o aplicativo não faz nada além de inicialização, mas garante que a COM é iniciado com êxito.

# Include <Stdafx.h>
# Include <sapi.h>

int main (int argc, char * argv [])
{
    if (FAILED (:: CoInitialize (NULL)))
        retornar FALSE;

    :: CoUninitialize ();
    return TRUE;
}
Listagem de código 2

Passo 3: Configurando vozes

Uma vez COM está sendo executado, o próximo passo é criar a voz. A voz é simplesmente um objeto COM. Além disso, SAPI usa padrões inteligentes. Durante a inicialização do objeto, SAPI atribui a maioria dos valores automaticamente de modo que o objeto pode ser usado imediatamente depois. Isto representa uma melhoria importante das versões anteriores. Os padrões são recuperados a partir de propriedades de fala no Painel de Controle e incluir informações como a voz (se mais de uma está disponível em seu sistema), eo idioma (Inglês, Japonês, etc.) Enquanto alguns padrões são óbvios, outros não são (velocidade da fala, pitch, etc.) No entanto, todos os padrões podem ser modificados de programação ou em propriedades de fala no Painel de Controle.
Definir o pVoice ponteiro para NULL não é necessário, mas é útil para verificar erros, o que garante um ponteiro inválido não é reutilizado, ou como um lembrete de que o ponteiro já foi alocado ou desalocado

# Include <Stdafx.h>
# Include <sapi.h>

int main (int argc, char * argv [])
{
    ISpVoice * pVoice = NULL;

    if (FAILED (:: CoInitialize (NULL)))
        retornar FALSE;

    HRESULT hr = CoCreateInstance (CLSID_SpVoice, NULL, CLSCTX_ALL, IID_ISpVoice, (void **) &pVoice;);
    if (SUCCEEDED (h))
    {
        pVoice-> Release ();
        pVoice = NULL;
    }

    :: CoUninitialize ();
    return TRUE;
}
Listagem de código 3. O texto em negrito representa novo código para este exemplo.

Passo 4: Fale!

O discurso real da frase é uma tarefa igualmente simples: uma linha chamando a função de fala. Quando a instância da voz não é mais necessário, você pode soltar o objeto.

# Include <Stdafx.h>
# Include <sapi.h>

int main (int argc, char * argv [])
{
    ISpVoice * pVoice = NULL;

    if (FAILED (:: CoInitialize (NULL)))
        retornar FALSE;

    HRESULT hr = CoCreateInstance (CLSID_SpVoice, NULL, CLSCTX_ALL, IID_ISpVoice, (void **) &pVoice;);
    if (SUCCEEDED (h))
    {
        hr = pVoice-> Speak (L "Olá, mundo", 0, NULL);
        pVoice-> Release ();
        pVoice = NULL;
    }

    :: CoUninitialize ();
    return TRUE;
}
4 listagem de código. O texto em negrito representa novo código para este exemplo.

Passo 5: Modificando Speech

Vozes podem ser modificadas utilizando uma variedade de métodos. A maneira mais direta é a aplicação de comandos XML diretamente para o fluxo. Veja o XML Tutorial TTSpara mais detalhes. Neste caso, uma classificação relativa de 10 irá reduzir o tom da voz.

# Include <Stdafx.h>
# Include <sapi.h>

int main (int argc, char * argv [])
{
    ISpVoice * pVoice = NULL;

    if (FAILED (:: CoInitialize (NULL)))
        retornar FALSE;

    HRESULT hr = CoCreateInstance (CLSID_SpVoice, NULL, CLSCTX_ALL, IID_ISpVoice, (void **) &pVoice;);
    if (SUCCEEDED (h))
    {
        hr = pVoice-> Speak (L "Olá, mundo", 0, NULL);

        / Mudança / pitch
        hr = pVoice-> Speak (L "Isso parece normal, <pitch meio ='-10'/> mas o tom cai no meio do caminho", SPF_IS_XML, NULL);
        pVoice-> Release ();
        pVoice = NULL;
    }
    :: CoUninitialize ();
    return TRUE;
}

Listagem de código 5. O texto em negrito representa novo código para este exemplo. Este é o exemplo de código completo.

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

DICAS WORD IMPORTANTES



Margens e configuração no WORD




Configuração de página - Margens, medianiz, orientação etc.

No Word 2003, as configurações de página são encontradas no Menu Arquivo - opção Configurar página.

Uma das funcionalidades mais usadas nas configurações de página é a definição da orientação, ou seja, se ficará como retrato (a página fica "em pé") ou paisagem (a página fica "deitada").
Note, na figura a seguir, as opções de orientação.
As configurações de página podem gerar inúmeras questões sobre a largura de linhas ou altura disponíveis para impressão, após consideradas as margens superior e inferior.
Especial atenção deve ser dada à Medianiz (área reservada para impressão) que pode estar à Esquerda, como em um livro ou caderno espiral ou no Topo, como em um bloco com a espiral no topo.
Observe as figuras e imagine quantas perguntas se pode fazer. (largura de linha, altura da área escrita, etc).
Pense assim: a largura disponível será a largura do papel (que pode estar deitado ou em pé - retrato e paisagem) menos o que se perde com margens e medianiz. A altura disponível segue o mesmo raciocínio: a altura será a altura do papel menos o que se perder com margens superior e inferior e cabeçalhos e rodapé.
Aproveite para ler, nas figuras, o que são Margens Espelho e 2 páginas por folha

Configurar página no Word 2002/XP e 2003
Observe que foi selecionado Margens espelho o que é utilizado em um documento que será encadernado.
Note, também, a medianiz, espeço reservado para encadernação.



Observe que foi selecionado 2 páginas por folha ou seja, em uma mesma folha serão impressas duas páginas.

Configurar página no Word 2000


No Word 2007 e 2010 , as configurações de página são encontradas na Guia Layout de Página.
Cada botão apresenta configurações prontas. Mas se desejar mais recursos, ou seja, personalizar, clique na setinha à direita e embaixo. Você terá uma nova caixa de diálogo.


Subscrevam o Canal  IRIS PARTILHAS (youtube)

https://www.youtube.com/user/voluntarioiris

Inserir cabeçalho e rodapé no Word



Cabeçalho e rodapé - Word 2003/2007/2010

.
Para inserir um cabeçalho ou um rodapé usamos a opção Cabeçalho e rodapé do menu EXIBIR. Após selecionarmos esta opção o Word nos apresentará a área do Cabeçalho como a seguir. Agora é só digitar o que se deseja (ou colar uma figura, por exemplo) na área do cabeçalho. Depois, podemos alternar para a área do rodapé e seguir o mesmo procedimento.


Observe (e experimente!) o que podemos fazer com a barra de ferramentas Cabeçalho e rodapé abaixo.
Alguns comentários:

•  Mostrar/Ocultar documento não afeta a impressão. Apenas esmaece a tonalidade do texto para não poluir visualmente a tela enquanto trabalhamos com cabeçalho e rodapé.
•  Vincular ao anterior significa que, quando temos uma quebra de seção, podemos optar por manter o cabeçalho anterior (vincular) ou um novo cabeçalho. No Word 2000 este botão chama-se Mesmo que a seção anterior.
•  Alternar entre cabeçalho e rodapé serve apenas para levar o nosso cursor do cabeçalho para o rodapé, rapidamente. Mas essa é uma ação que também pode ser feita manualmente, clicando-se diretamente em cada um deles.

No Word 2007/2010, para inserir um cabeçalho ou um rodapé usamos a Guia Inserir e selecionamos o Grupo Cabeçalho e rodapé


Observe que é aqui mesmo que inserimos Números de Página, formatamos os números, definimos a posição etc.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

PROJETO IRIS OPORTUNIDADES






Existimos para… (Missão)
Promover a plena inclusão comunitária e social das pessoas cegas e com baixa visão, através do desenvolvimento de um conjunto diversificado de projetos, serviços e intervenções centrados no desenvolvimento da autonomia e na participação plena, privilegiando uma abordagem multidimensional e integrada da incapacidade e valorizando a interação entre a pessoa e os contextos ao longo de todo o ciclo vital.


Ser uma Associação de referência na área da deficiência visual, reconhecida pelo seu efetivo contributo para a construção de uma sociedade mais inclusiva, onde as pessoas cegas e com baixa visão são cidadãos de pleno direito e têm acesso a todas as oportunidades, nas diferentes áreas, em igualdade de circunstâncias com os demais.

No entanto a Instituição não fica apenas circunscrita a essa missão, tendo o enorme respeito pela dignidade, individualidade e capacidade de escolha dos Seres humanos, promovemos uma cultura de abertura, transparência, reconhecimento das competências e saberes de cada um, aprendizagem mútua e flexibilidade/adaptabilidade em relação aos nossos colaboradores.

Preocupados com a
Inclusão atuamos pela constante defesa dos direitos dos utentes, adaptada no aperfeiçoamento ativo da igualdade de oportunidades, processos e da autodeterminação e da participação e inclusão plenas na sociedade.

O comprometimento com a partilha, e intercâmbio de formação e o desenvolvimento para a inovação contínua, aliado à utilização mais produtiva dos recursos, à eficiência, rigor e transparência de todas as ações.

Esta ação é mais uma que visa aparelhar o crescimento das oportunidades e sentido de igualdade para com todos, seja nesta área de estudo ou noutras que possamos vir a promover. O mote é espaço igual, partilha inclusiva, num conceito de acessibilidade para todos criando a sustentabilidade de valores de respeito mutuo e sem diferenças, seja qual for a situação em que o projeto se faça presente.

As Iris Oportunidades, não se enquadrarão apenas numa simples área de cultura, mas em várias que possam proporcionar a aproximação dos cidadãos e reconhecimento, ela é para os utentes, amigos, sócios e todos que dela queiram participar dentro dos valores da lucidez e razão.

Iremos começar pelos meios informáticos, pois são a porta para mundo digital, o qual oferece enormes meios de crescimento e desenvolvimento cultural.

Todos os valores simbólicos a pagar reverterão para as atividades da Instituição Iris Inclusiva.
Não damos certificação, mas aperfeiçoamos e apadrinhamos a ajuda mútua do conhecimento e acompanhamento necessário aos que assim queiram, bem como proporcionamos a inserção elo da sustentabilidade do cidadão, varrendo barreiras e proporcionando o direito a igualdade de processos.

Estrutura do Projeto IRIS OPORTUNIDADES

Ø  As partilhas serão feitas com número limitado de presenças (10 a 12), para com isso proporcionar uma melhor captação dos recursos e apoios dados.
Ø  Terá de ser feita uma  pré inscrição, através de formulário que a Instituição fornecerá.
Ø  A idade não tem limite, todos sem exceção, podem participar.
Ø  Os sócios também podem, sendo que a sua inscrição terá uma quota apenas de 50% .
Ø  Em todas as partilhas haverá uma quota de presença que visa não um caminho lucrativo, mas ajudar a Instituição Iris Inclusiva a cumprir as suas obrigações para com a Sociedade e apenas com natureza de doação.
Ø  Todos participantes receberão um recibo pela quota a pagar, e que será o somatório de horas por cada ação.
Ø  Cada ação de 1 hora pagará 50 cêntimos.
Ø  Os materiais extras serão os participantes a trazer, sendo que na área informática, existem apoios da Instituição com computadores. Podendo os participantes trazer seus portáteis.
Ø  Todo espaço deve ser respeitado.
Ø  A lista de IRIS Oportunidades, será disponibilizada, pelos orientadores e a calendarização também.
Ø  Os manuais a usar serão depois disponibilizados de acordo com os orientadores.
Ø  Será sempre entregue um índice organizativo da ação, dado também pelo orientador.
Ø  A Instituição não se responsabilizará por danos que possam acontecer nos computadores portáteis que os participantes possam usar.
Ø  Haverá uma folha de presenças que deverá ser assinada por todos participantes em cada seção.
Ø  As ações são feitas por voluntários, logo eles não são remunerados.
Ø  As ações podem ser por períodos curtos ou longos consoante a disponibilidade de quem se voluntaria, para participar no processo.
Ø  Email de acesso criado para a função irispartilhas@gmail.com

Não são os sonhos que nos fazem felizes, mas podemos tornar realidade o que o sonho nos transmite. Cravo

Número total de visualizações de página